Quarta-feira, 23 de Maio de 2007

Saúde - Prepare a pele para o Verão

Quando o calor aperta a quem é que não apetece dar um saltinho até à praia? Nem que seja para beber um sumo ou comer um gelado na esplanada, junto ao mar...

E, o Verão é por excelência a época em que mais corpo se mostra e, por isso, há que começar a preparar-se para dar a conhecer aos outros uma pele perfeita!

Além do mais, é por estar calor e por a pele estar mais exposta ao meio ambiente que são necessários cuidados redobrados. Esses cuidados devem ser aplicados antes de começar o Verão e a Primavera é uma boa altura para cuidar da sua pele e prepará-la para a estação mais quente do ano. Mas, não implica que no Outono e no Inverno não trate da pele!

Eis alguns conselhos para preparar a pele para o Verão:

  • Já é quase um cliché dizer para beber água. Mas, de facto, é importante voltarmos a referir esse pormenor, já que muitas de nós não bebe pelo menos 2 litros de água por dia. Além de água, beba também sumos naturais!

     

  • Lave o rosto antes de se maquilhar e coloque um creme de dia.

     

  • Por forma a eliminar as impurezas acumuladas durante o dia, antes de se deitar, coloque na face um tónico e um leite de limpeza.

     

  • Não perde nada em fazer uma esfoliação. Pode fazê-la nos institutos de beleza ou em casa. Se optar pela segunda hipótese, faça uma mistura com sumo de limão e açúcar; passe-a pelo rosto e depois passe por água fria. Deve usar esta receita caseira apenas à noite.

     

  • Não é somente o sol que apanhamos na praia que é prejudicial para a pele, mas também os raios solares que apanhamos quando andamos na rua. Por isso, se está de férias e anda durante muito tempo na rua, convém usar protector solar.

     

  • Não vá a correr para se inscrever num ginásio umas semanas antes de começar o Verão! Deve, sim, fazer exercício físico durante todo o ano.

     

  • O cansaço e o stress diários contribuem para o envelhecimento precoce da pele, por isso tente levar uma vida mais calma: a sua pele agradece! Para as pessoas mais activas, uma massagem profissional é sempre bem-vinda.

in http://mulher.sapo.p

tags:
publicado por paulozananar às 10:09
link do post | comentar | favorito
|

Importante - Crianças em risco com pais menores

Maioria dos jovens em risco são sinalizados pelas escolas

Entre 28 349 familiares com jovens e crianças em risco a cargo, identificados durante o ano passado, 24,5% são progenitores com menos de 18 anos de idade. Do universo total, 23% são iletrados ou analfabetos e 64% apenas estudou até ao 6º ano. Estes são dados do relatório das Comissões de Protecção de Crianças e Jovens em Risco (CPCJR) de 2006, que foi apresentado ontem em Lisboa, pela secretária de Estado Adjunta e da Reabilitação, Idália Moniz.

"Quanto aos pais menores, trata-se de uma dupla sinalização, porque tantos progenitores como filhos estão em situação de perigo. O que estamos a fazer é a intervir junto dessas famílias, incentivando a que melhorem as suas qualificações para inverter o processo de exclusão", referiu ao JN, a governante.

Além da formação parental, os técnicos tentam que estes pais adolescentes voltem à escola ou arranjem emprego.

Os números traduzem esta aposta nas medidas de apoio às famílias biológicas 79,4% casos junto dos pais e 9,8% junto de outro familiar. Para que as crianças - ainda que institucionalizadas por muito tempo - possam voltar à família de origem. Até porque a maioria já ultrapassou a idade requerida pelos candidatos para a adopção (ler texto em baixo).

Polícias mais atentos
O relatório revela outro dado novo. A escola continua a ser a principal entidade sinalizadora, em 21,1% dos casos.

De realçar é que a denúncia de suspeitas de risco por parte das autoridades policiais mais do que duplicou de 6,9% passou para 16,4%, o que pressupõe a maior atenção dada pelas forças de segurança (PSP e GNR) a este problema. Só depois surgem os estabelecimentos de saúde (8,4%).

O relatório indica que se mantém a tendência de 2005, de que as mais atingidas são as crianças do sexo masculino (53,2%), da faixa etária dos 6 aos 10 anos (25,1%), dos 13 e 14 anos (16%) e até aos 17 anos (15,3%).

O alcoolismo (43,9%) é o factor predominante nos agregados de origem, seguindo-se a doença mental (16,8%) e física (14,5%) e a toxicodependência (13,8%).

Para atacar estas problemáticas "foram reforçadas as verbas destinadas à contratação de mais técnicos para actuarem no terreno, de forma mais dedicada e com mais tempo para cada caso. Além disso, é um trabalho que tem de ser feito em articulação com outras instituições, porque muitos são beneficiários do Rendimento Social de Inserção, e com os serviços de saúde", referiu, ao JN, Idália Moniz.

Aos jornalistas presentes , a governante disse ainda estar em construção uma base de dados que permitirá sistematizar todos os dados sobre as crianças e jovens em risco em Portugal, mas que "só em 2009 poderemos fazer uma utilização deste instrumento".

Na sessão informal estiveram também o presidente do Instituto de Segurança Social, Edmundo Martinho e o presidente da Comissão Nacional das CPCJR, Armando Leandro.


Comissões em falta justificam números
Em 2006, as CPCJR instaurou 25209 processos, mais do que o ano passado. Porque foram criadas quatro Comissões e porque em 2005, as CPCJR de Lisboa (Norte, Centro, Oriental e Ocidental), Amadora e Faro não entregaram o modelo de recolha de dados.

Ausência da escola aumenta com a idade
A não frequência do sistema de ensino aumenta com a idade, atingindo 12,6% dos jovens com 15 ou mais anos. E 10,8% dos adolescentes entre os 13 e os 14 anos ainda não estão no 6º ano de escolaridade.


Tipos de famílias com mais menores em risco
Crianças são oriundas de famílias nucleares com filhos (47,2%) e monoparentais femininos (21,7%).

38% das famílias vivem de subsídios do Estado
56% d as famílias que vivem do trabalho, 38,2% têm carências económicas 13,9% auferem subsídio de desemprego, 7,1% o RSI e 3,8% pensões.

Quase 51 mil processos encontram-se em aberto
A soma dos processos de menores em risco é de 50947. Um número que resulta dos 23712 que transitaram de anos anteriores, mais os instaurados e os reabertos, disse Idália Moniz.

 

http://jn.sapo.pt por Alexandra Marques e Alfredo Cunha

publicado por paulozananar às 10:04
link do post | comentar | favorito
|

Importante - Operações no multibanco poderão passar a ser pagas a partir de 2008

202800_CAIXAMULTIBANCOPUBLICO.JPG Na Europa, um cidadão paga em média 1,3 euros por cada levantamento numa caixa automática.

Devido ao sistema único de pagamentos na Europa.
As operações no multibanco poderão passar a ser pagas, a partir de 2008, fruto da entrada em vigor do sistema único de pagamentos na Europa.

O alerta foi dado ao "Diário de Notícias" pelo presidente da Sociedade Interbancária de Serviços (SIBS).

"Os portugueses não vão ganhar nada com o SEPA (Single Euro Payments Area)", disse ao DN Vítor Bento, presidente da SIBS, que gere a rede do Multibanco, explicando que a uniformização dos sistemas de pagamentos e levantamentos automáticos na Europa poderá levar ao fim da gratuitidade de algumas das operações de multibanco que actualmente se realizam em Portugal.

Levantar dinheiro, consultar saldos e movimentos, pagar contas de serviços, carregar telemóveis e renovar o passe social são algumas operações que actualmente se podem fazer no multibanco sem qualquer custo.

"Muitos esquecem-se que somos dos pouco países europeus onde esses serviços não são pagos, porque os bancos assim o entendem", acrescentou o presidente da SIBS.

Ontem, em entrevista à Lusa, Vítor Bento alertara já para a possibilidade de muitas das funcionalidades do sistema de multibanco português poderem vir a desaparecer com a aplicação dos princípios impostos pelo SEPA.

Portugal é o país da Europa em que a rede de terminais automáticos, as designadas máquinas de multibanco, têm mais funcionalidades, cerca de 60.

O SEPA impõe que, em 2010, qualquer sistema europeu de processamento de transacções aceite e processe transacções transfronteiriças em condições iguais, incluindo de preços, às praticadas nas transacções domésticas.

Na Europa, um cidadão paga em média 1,3 euros por cada levantamento numa caixa automática.

in www.público.pt por Lusa

publicado por paulozananar às 09:59
link do post | comentar | favorito
|

Curiosidades - Professor de Inglês suspenso de funções por ter comentado licenciatura de Sócrates

202510_socrates_Joao_Cortesao_Gome.jpg Trabalhava há quase 20 anos na DREN


Em causa está um comentário jocoso sobre a polémica em volta da licenciatura do primeiro-ministro na Universidade Independente.
Um professor de Inglês, que trabalhava há quase 20 anos na Direcção Regional de Educação do Norte (DREN), foi suspenso de funções por ter feito um comentário – que a directora regional, Margarida Moreira, apelida de insulto – à licenciatura do primeiro-ministro, José Sócrates.

A directora regional não precisa as circunstâncias do comentário, dizendo apenas que se tratou de um "insulto feito no interior da DREN, durante o horário de trabalho". Perante aquilo que considera uma situação "extremamente grave e inaceitável", Margarida Moreira instaurou um processo disciplinar ao professor Fernando Charrua e decretou a sua suspensão. "Os funcionários públicos, que prestam serviços públicos, têm de estar acima de muitas coisas. O sr. primeiro-ministro é o primeiro-ministro de Portugal", disse a directora regional, que evitou pormenores por o processo se encontrar em segredo disciplinar. Numa carta enviada a diversas escolas, Fernando Charrua agradece "a compreensão, simpatia e amizade" dos profissionais com quem lidou ao longo de 19 anos de serviço na DREN (interrompidos apenas por um mandato de deputado do PSD na Assembleia da República).

No texto, conta também o seu afastamento. "Transcreve-se um comentário jocoso feito por mim, dentro de um gabinete a um "colega" e retirado do anedotário nacional do caso Sócrates/Independente, pinta-se, maldosamente de insulto, leva-se à directora regional de Educação do Norte, bloqueia-se devidamente o computador pessoal do serviço e, em fogo vivo, e a seco, surge o resultado: "Suspendo-o preventivamente, instauro-lhe processo disciplinar, participo ao Ministério Público"", escreve.

A directora confirma o despacho, mas insiste no insulto. "Uma coisa é um comentário ou uma anedota outra coisa é um insulto", sustenta Margarida Moreira. Sobre a adequação da suspensão, a directora regional diz que se justificou por "poder haver perturbação do funcionamento do serviço". "Não tomei a decisão de ânimo leve, foi ponderada", sublinha. E garante: "O inquérito será justo, não aceitarei pressões de ninguém. Se o professor estiver inocente e tiver que ser ressarcido, será."

Neste momento, Fernando Charrua já não está suspenso. Depois da interposição de uma providência cautelar para anular a suspensão preventiva e antes da decisão do tribunal, o ministério decidiu pôr fim à sua requisição na DREN. Como o professor, que trabalhava actualmente nos recursos humanos, já não se encontrava na instituição, a suspensão foi interrompida. O professor voltou assim à Escola Secundária Carolina Michäelis, no Porto. O PÚBLICO tentou ontem contactá-lo, sem sucesso.

No entanto, na carta, o professor faz os seus comentários sobre a situação. "Se a moda pega, instigada que está a delação, poderemos ter, a breve trecho, uns milhares de docentes presos políticos e outros tantos de boca calada e de consciência aprisionada, a tentar ensinar aos nossos alunos os valores da democracia, da tolerância, do pluralismo, dos direitos, liberdade e garantias e de outras coisas que, de tão remotas, já nem sabemos o real significado, perante a prática que nos rodeia."

 

in www.sapo.pt por João Cortesão Gomes/PÚBLICO, colocado por Mariana Oliveira

publicado por paulozananar às 09:54
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Sexta-feira, 18 de Maio de 2007

Importante - CIRCULAÇÃO EM ROTUNDAS

ROTUNDASECRUZAMENTOS.jpg       

Tendo em conta as disposições aplicáveis do Código da Estrada, na redacção que lhe foi conferida pelo Decreto-Lei nº 44/2005, de 23 de Fevereiro, constantes dos artºs 13º, nº 1; 14º, nºs 1 a 3; 15º, nº 1; 16º,nº 1; 21º; 25º; 31º, nº 1, c) e 43º e as definições referidas no artº 1º do mesmo Código, na circulação em rotundas os condutores devem adoptar o seguinte comportamento:


1. O condutor que pretende tomar a primeira saída da rotunda deve:


􀂾 Ocupar, dentro da rotunda, a via da direita, sinalizando
antecipadamente quando pretender sair.

2. Se pretende tomar qualquer das outras saídas, deve:


􀂾 Ocupar, dentro da rotunda, a via de trânsito mais adequada em função da saída que vai utilizar;
􀂾 Aproximar-se progressivamente da via da direita;
􀂾 Fazer sinal para a direita depois de passar a saída imediatamente anterior à que pretende utilizar;
􀂾 Mudar para a via de trânsito da direita antes da saída, sinalizando antecipadamente quando for sair.
Sinalização de manobras:
􀂃 Todas as manobras que impliquem deslocação lateral do veículo decorrente da mudança de via de trânsito ou saída da rotunda devem ser previamente sinalizadas.

publicado por paulozananar às 17:51
link do post | comentar | favorito
|

Importante - Os larápios e as suas estratégias

    Larápios estão a enviar pelo correio uma carta com papel timbrado da TV-CABO, onde consta que a empresa está a modernizar a sua tecnologia e que será necessária a substituição de equipamentos dentro da casa do assinante.
Eles dão o número do telefone de um colaborador, por intermédio do qual deve ser feita a marcação para a realização do serviço. Se o assinante não conhece o golpe e não telefona para a TV-CABO para saber se isto é verdade, o golpe (assalto) é praticado com hora marcada. Vejam só, até onde chegou a ousadia dos bandidos! As próprias vítimas marcam o dia em que as suas casas podem ser assaltadas!!!!!!!! Sugiro que passem esta mensagem ao vossos amigos, tenham eles TV-CABO ou outro qualquer canal de TV por assinatura, para que eles, também, passem esta informação de interesse.

publicado por paulozananar às 17:51
link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 10 de Maio de 2007

Saúde - Os benefícios do exercício físico

Na sociedade actual, graças às descobertas científicas que tiveram lugar nos últimos 100 anos, as actividades do dia – a - dia tornaram-se cada vez mais fáceis.

Como exemplos, podemos citar a deslocação até ao local de trabalho ou a subida até ao 4º andar de um prédio, que passaram a ser feitas através de recursos mecânicos (automóvel e elevador, respectivamente).

Em termos económicos, podemos chamar a isto eficiência, pois o mesmo objectivo pode ser alcançado com menor dispêndio de recursos (como o tempo).

Aparentemente, a vida moderna parece muito melhor que a dos avós dos nossos avós. Tudo é mais fácil. Não temos que nos preocupar com tarefas pouco importantes e podemos dedicar-nos ao exercício da actividade intelectual.

Não obstante, os últimos 100 anos demonstraram que o sedentarismo é algo a que o ser humano não está habituado e, como qualquer organismo vivo, adapta-se a essa nova situação.

O grande problema reside nessa adaptação, que se manifesta das mais variadas formas: obesidade, hipertensão, colesterol e triglicéridos elevados, diabetes tipo II e doenças cardiovasculares, entre outras.

Para fazer face a estes problemas de saúde pública, que em alguns países (como os EUA), atingiram proporções epidémicas, vários cientistas investigam e associam-se, realizando congressos, onde publicam os seus trabalhos.

A grande conclusão a que todos chegaram é que a prática regular de actividade física, combinada com uma alimentação adequada (tema a abordar num futuro artigo) previne e reverte os problemas de saúde atrás referidos.

Para melhor compreensão, apresenta-se uma lista dos benefícios obtidos pela prática regular de actividade física:

1. Melhoria da função cardiovascular e respiratória

2. Redução dos factores de risco para doença da artérias coronárias

3. Diminuição de incidentes mortais provocados por doença cardiovascular

4. Diminuição da incidência de doença das artérias coronárias, cancro do cólon e diabetes tipo II

5. Diminuição da massa gorda e manutenção ou aumento da massa muscular

6. Aumento da massa óssea e/ou prevenção da sua perda (prevenção da osteoporose)

7. Aumento da força muscular

8. Aumento da resistência de tendões e ligamentos

9. Aumento do metabolismo em repouso

10. Melhoria da função imunitária

11. Atraso de certos processos do envelhecimento

12. Aumento da sensação de bem-estar e da auto-estima

13. Melhoria dos estados de depressão e ansiedade

Para obtenção dos benefícios descritos, o American College of Sports Medicine (associação, que apesar do nome, integra cientistas de todo o mundo) determina que se realize, no mínimo, 30 minutos de exercício diário (que pode ser uma simples caminhada) durante 4 ou mais dias por semana.

Em suma, se pretende ter uma vida saudável, seja mais activo: vá a pé para o local de trabalho, utilize as escadas em vez do elevador, passeie com o cão, ande de bicicleta, ou realize qualquer outra actividade física que seja do seu agrado (ficar no sofá a pressionar os botões do comando não conta).

Fonte: 3Fitness.com

in www.sapo.pt

Artigo elaborado por Pedro Bastos

Mestrando em Nutrição e Dietética na Universidade de León

Pós-Graduado em Exercício e Saúde e Especialista em Treino Personalizado pela ESDRM

Instrutor de Musculação e Cardiofitness diplomado pelo CEF e pelo CEFAD

tags:
publicado por paulozananar às 17:10
link do post | comentar | favorito
|

Saúde - Tipos de Dieta

Tipos de Dieta

 

Algumas das dietas mais conhecidas internacionalmente.
Os prós e os contras de cada regime.
 
 
Dieta Mediterrânica

A melhor dieta do mundo!

 

Porque é que hoje em dia as doenças cardio-vasculares são a primeira causa de morte em Portugal?

Pura e simplesmente, porque são muito poucas as pessoas que seguem a Dieta Mediterrânica que foi típica, durante centenas de anos no nosso país, e que se tem vindo a perder desde os anos 50/60.

Felizmente que nos dias de hoje, se começa a falar outra vez nos benefícios deste tipo de alimentação.

Durante a década de 60, as populações de Creta na Grécia, desfrutavam, talvez, da maior esperança de vida no planeta e a incidência de doença cardíaca era de 1/10 do apresentado pelos países desenvolvidos.

 

Porque é que estas populações tinham tais níveis de saúde?

Porque comiam essencialmente, cereais, leguminosas, frutos e vegetais; a carne e os lacticínios eram mais raros, já que estes alimentos eram muito caros e não se encontravam disponíveis de um modo generalizado. O azeite era a sua principal fonte de gordura. Fisicamente, eram pessoas muito activas. Era também usual o consumo de vinho tinto às refeições.

No Verão de 1996, a Oldways Preservation, uma organização ao estudo e promoção de hábitos alimentares saudáveis, conjuntamente com o Departamento Europeu da Organização Mundial de Saúde e com a Harvard School of Public Health - E.U.A., introduziram o conceito Pirâmide da Dieta Tradicional Mediterrânica.

Esta é baseada na alimentação da população de Creta, nos anos 60, reunindo algumas variantes da dieta tradicional Espanhola, Portuguesa, Grega, Marroquina, Tunisína, Turca, Síria, do sul de França e do sul de Itália. Este conceito revelou-se fundamental, porque os nutricionistas concordam, que para levar uma população a mudar os seus hábitos alimentares, é necessário apresentar-lhes um determinado modelo a seguir.

A base da pirâmide mostra-nos quais os alimentos que devemos consumir em maior quantidade - cereais, massas e arroz integrais, pão (feito com farinhas pouco refinadas), legumes, frutos, vegetais frescos, frutos secos. No topo encontram-se os alimentos que devemos comer com muita moderação, carne e doces.

O interesse da Dieta Mediterrânica começou na década de 60, quando o Dr. Ancel Keys, médico, professor e director da Universidade de Saúde Pública de Minesota - E.U.A., revelou um trabalho chamado: "Estudo das Sete Nações", o qual incluia o Japão, Itália, Holanda, Finlândia, E.U.A., Grécia e a ex-Jugoslávia. O prof. Keys estudou a incidência da doença cardíaca coronária, em 16 grupos da população dos países citados.

Surpreendentemente, ele descobriu que as pessoas que viviam na área mediterrânica, apresentavam uma taxa muito baixa de doença cardiaca, comparativamente com as populações dos restantes países. Em primeiro lugar, os países ricos do norte, ingeriam 50% mais calorias por pessoa, do que os da bacia mediterrânica. Já nessa altura, este excesso de calorias era devido ao consumo em abundância de carnes gordas fumadas, salsichas, bacon, manteiga, chocolates, natas, contribuindo decisivamente para a obesidade desses povos.

Apesar das dietas tradicionais variarem consideravelmente nos países mediterrânicos, apresentavam as seguintes características comuns:

1. Abundância em alimentos de proveniência vegetal, tais como, batatas, cereais (trigo), legumes, hortaliças, frutos secos e frescos. A farinha de trigo, desde as civilizações antigas, que tem constituído a base da alimentação dos povos mediterrânicos, serve para fazer as massas e o pão. Podemos ver, ainda hoje, que as populações do sul do nosso país, para além de comerem o pão como acompanhamento, utilizam-no em muitos pratos da culinária regional (açordas, migas, sopas, ensopados...).

2. De um modo geral, comiam-se alimentos frescos, da época e da região, sem qualquer processamento químico. Os produtos hortofrutícolas eram muito significativos na Dieta Mediterrânica. Os legumes, as hortaliças, as ervas aromáticas, as frutas frescas (uvas, figos, laranjas, damascos, pêssegos, tâmaras, melacias, melão, etc., todos eles muito ricos em vitaminas, minerais e enzimas antioxidantes) e os frutos secos (pinhão, alfarroba, amêndoa e avelã, ricos em ácidos gordos polinsaturados) eram consumidos com regularidade.

3. O consumo de margarina e manteiga era quase nula, sendo o azeite a principal gordura. A banha de porco era consumida nume percentagem muito pequena.

4. O consumo de queijo, leite, iogurtes era muito baixo.

5. Consumo moderado de peixe, aves de capoeira e ovos. Raramente se consumia mais de dois ovos por semana. Mesmo assim, eram os peixes a principal fonte de proteínas, na alimentação dos povos da orla mediterrânica, nomeadamente, a sardinha e a cavala, e mais tarde, o bacalhau seco.

6. A principal sobremesa era a fruta fresca. Açucares refinados e mel, só muito raramente.

7. O consumo de carne vermelha era muito limitado, sendo esta consumida essencialmente por alturas festivas.

8. Consumo moderado de vinho. Já sabemos que a pele da uva contém substâncias anticancerígenas e a grainha da uva é muito rica em antocianinas (compostos químicos com propriedades antioxidantes superiores às vitaminas). Também se sabe que as populações que bebem vinho com regularidade em quantidades moderadas, apresentam um menor risco de contrairem doenças cardíacas, em relação àqueles que não o consomem.

9. Não podemos nem devemos esquecer o consumo de água (75% do nosso corpo é constituido por água) que nos tempos idos era pura e hoje em dia está carregada de metais pesados, radiactividade e de outras substâncias tóxicas que podem passar das embalagens de plástico para a água.

10. Actividade física regular, a qual promovia um controlo de peso saudável, bem como um bem-estar contínuo. Esta actividade física prendia-se com o trabalho do campo, que era um trabalho muito duro e exigente.>

Talvez o alimento que mais sobressai da Dieta Mediterrânica seja o azeite. Este é uma gordura monoinsaturada, que eleva os níveis de lipoproteínas HDL (bom colesterol). Estas servem para evitar o depósito de colesterol LDL (mau colesterol) dentro das artérias, o qual quando sofre oxidação vai originar as temidas doenças do coração - tromboses, enfartes, etc..

O azeite contém vitamina E, a qual tem um grande poder antioxidante. Este fabuloso alimento apresenta ainda propriedades estimulantes da vesícula biliar e fígado (estimula a contração desta e a secreção da bílis) devido à sua acção suave sobre estes órgãos, favorecendo a digestão. Apresenta também um efeito laxante suave, entre muitos outros benefícios para a saúde.

Este artigo aconselha as pessoas a não comerem carne, açucares, gorduras? Claro que não. O que se pretende evidenciar é o papel saudável da dieta que era seguida pelos nossos pais e avós e que se esqueça do "fast-food" e afins.

Mas, décadas atrás, nem tudo era moderação. O sal, por exemplo, era consumido em excesso. Actualmente, é desejável que o sal seja substituído pela grande variedade de ervas aromáticas que temos ao nosso dispor. Para além de concederem um sabor único, aos pratos, algumas têm inclusivé propriedades medicinais.

Agora, que a comida refinada e enlatada prolifera por todo o lado, devemos lembrar que inumeras instituições, médicos, nutricionistas e naturopatas, estão a aconselhar vivamente a Dieta Mediterrânica.

É claro que se pode continuar a comer de tudo, contudo, açúcares refinados, gorduras saturadas (manteiga, banha ou fritos feitos com estas, carnes gordas, etc.), gorduras insaturadas, hidrogenadas, isto é, gorduras vegetais em forma sólida, como as margarinas, sal entre outras "maravilhas", podem ser consumidas muito moderadamente, se pretendermos manter a nossa saúde e prolongar a esperança de vida por muitos e bons anos!

 

Texto: Custódio César (Nutricionista)

 

 

Dieta Beverly Hills

Um regime excêntrico!

 

Recomenda a ingestão de fruta e nunca a mistura de proteínas com hidratos de carbono, para que os alimentos sejam bem digeridos e os seus nutrientes não sejam armazenados como gordura.

O regime tem a duração de 35 dias, calendarizados com diferentes géneros alimentares em cada refeição. O número de calorias não é contabilizado, mas o plano é muito meticuloso e deverá ser seguido à risca.

Em termos gerais, nos primeiros dez dias apenas são permitidos frutos; no 11º dia junta-se manteiga e hidratos de carbono; no 19º adiciona-se as proteínas. Alimentos com gordura são permitidos.

O consumo de cafeína é proibido mas o de champanhe ilimitado!

 

Contras

Os poucos alimentos permitidos tornam esta dieta muito limitada. Além disso, não tem qualquer tipo de base científica. Os níveis de ingestão de proteínas são assustadoramente reduzidos e as quantidades de vitaminas e minerais essenciais deixam muito a desejar.

 

 

Dieta Scarsdale

Uma dieta hiperprotídica moderada

Fonte: e-netur@l
 

A dieta Scarsdale é mais uma dieta hiperprotídica moderada, que assenta num principio de cuidadosa repartição das proteínas, hidratos de carbono e gorduras (lípidos) ao longo das refeições.

Recomenda que o regime diário seja constituído por 43% de prótidos ; 34,5% de hidratos de carbono e 22,5% de lípidos, esquema que muitos nutricionistas acham desaconselhável.

É muito restritiva nas suas combinações, de foram a dar um ar cientifico ao regime prescrito.

A favor:

A ingestão de proteínas magras e saladas garante alguma sensação de saciedade e uma perda de peso rápida nas primeiras semanas ("Perca 8 quilos em 14 dias" é um dos slogans adoptados).

 

Contra:

Esta dieta não deve ser seguida por períodos de tempo superiores a dois meses sem aconselhamento médico.

  • Pode provocar obstipação e desidratação conduzindo a sintomas de cansaço.
  • O peso perdido é facilmente recuperável assim que se retome uma alimentação normal.
 
Dieta da Clínica Mayo
Uma escolha rígida
 

Apesar do nome, esta dieta nada tem a ver com a famosa Mayo Clinic, que não subscreve este regime. Trata-se de uma dieta hiperprotídica moderada, com uma selecção de alimentos algo rígida, não fazendo uma verdadeira educação ou controlando as quantidades dos alimentos ingeridos.

Abusa das gorduras e das proteínas (dissociadas dos hidratos de carbono), de forma a saciar o apetite, o que é incorrecto. Abusa no consumo de ovos (permite até 6 por dia), eliminando os lacticínios alimentos ricos em hidratos de carbono.

Algumas variantes sugerem também o consumo de 1 toranja por refeição de forma a 'queimar' as gorduras ingeridas. A duração desta dieta pode estender-se até dois meses e meio.

A favor:
  • Nas primeiras semanas mantém-se uma sensação de saciedade.
  • Podem-se comer fritos, ovos e carne imoderadamente.
  • Perda de peso significativa nas primeiras semanas.

Contra:

  • Esta dieta é desequilibrada, monótona e perigosa.
  • A perda de peso inicial é enganadora, e facilmente recuperável.
  • A monotonia e o facto de ser muito restritiva leva rapidamente à desistência.
  • Quem segue esta dieta após o período de mais de duas semanas pode começar a ter sintomas de nervosismo, perda de memória e fadiga.

 

Dieta Dissociada

O segredo está em...comer de tudo!

 

 

O segredo da dieta dissociada está em comer tudo, mas evitando combinar na mesma refeição proteínas, hidratos de carbono (açúcares) e lípidos (gorduras).

Nesta ordem de ideias, pode-se comer um bife de 200g ao almoço, acompanhado de fiambre, bacon, por exemplo, desde que nessa mesma refeição não se ingiram alimentos do grupo dos hidratos de carbono como as massas, o arroz, as batatas ou o pão.

Este regime promete uma redução de peso na ordem de 1 quilo semanal, com a condição de não se ingerirem alimentos onde há açucares com alimentos onde há gorduras, num intervalo de 5 a 7 horas.

A favor:

  • Pode ser uma forma equilibrada de perder peso se for equilibrada (as proteínas, os açúcares, as gorduras, as vitaminas e os sais minerais não estão excluídos nos alimentos consumidos, é apenas o seu consumo que é 'dissociado').

Contra:

  • Com o tempo esta dieta torna-se monótona e sensaborona (pode-se comer carne, mas nunca com batatas, queijo também, mas sem pão ...
  • Não é adequada a regimes de longa duração, pois a sua monotonia e natureza restritiva leva à desistência.

 

Dieta Atkins

Fora com os hidratos de carbono!

 

 

A Dieta Atkins assenta na eliminação dos hidratos de carbono das refeições. Os açucares são retirados, assim como os cereais, o arroz, as batatas, as massas e as leguminosas secas (favas, ervilhas, lentilhas). Os legumes verdes e as frutas (que contêm açucares) são também suprimidos.
Em sua substituição é proposto um regime hiperprotídico, rico em gorduras e alimentos de origem animal, com a carne e os ovos, e mesmo o bacon ou a pasta de fígado. O álcool é igualmente permitido, fazendo crer que quem siga esta dieta se poderá refastelar num delicioso regime de os ovos com presunto e bifes enormes, bem regados com álcool.
A justificação científica para este regime (pois até certo ponto ele funciona) está no facto de a restrição ao consumo de açucares reduziria os níveis de insulina, mecanismo responsável pela metabolização dos açucares e sua conversão em gorduras.
A favor:
  • Não limita a ingestão de carne, ovos e gorduras.
  • Permite perder algum peso.

Contra:

  • É uma dieta desequilibrada.
  • Causa obstipação (porque os alimentos ricos em fibras são eliminados do regime.
  • A metabolização das proteínas liberta toxinas, causando uma sobrecarga sobre os rins.
  • O excesso de gorduras, sobretudo para quem sofra de hipertensão ou de doença coronária é perigoso. O consumo excessivo carnes e gorduras aumenta o colesterol e altera os níveis de sódio / potássio.
  • Segundo alguns especialistas, esta dieta é incompatível com a pílula contraceptiva.
 in www.sapo.pt
tags:
publicado por paulozananar às 16:35
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Fevereiro 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28

.posts recentes

. Curiosidades - Atraso de ...

. Importante - 'Homejacking...

. Curiosidades - Professore...

. Escola - Ministra rejeito...

. Curiosidades - Descoberta...

. Rali- Rali do Japão

. Saúde - Aftas O que as pr...

. Importante - Investigador...

. Importante - FIM aprova A...

. Ralis - Oportunidade de o...

.arquivos

. Fevereiro 2009

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

.tags

. curiosidades

. desporto

. desporto motorizado

. desportos motorizados

. escola

. importante

. informação

. nutrição

. ralis

. saúde

. todas as tags

.links

Online Casino
Slot Machines
Como está o Blog?
Melhor
Igual
Pior
Interessante
Pode melhorar
Não tenho opinião
  
Free polls from Pollhost.com
blogs SAPO

.subscrever feeds